Vestido Envelope

O vestido envelope, obra criada em 1973 pela estilista belga Diane von Furstenberg, se tornou um símbolo da emancipação feminina nos anos 70, afinal, unia beleza e delicadeza a um caráter utilitário, ideal para a mulher que não queria mais ser apenas dona de casa e buscava uma vida mais ativa. A contribuição de Diane ultrapassa o campo da estética. A peça virou um ícone por ser prática, extremamente charmosa e superconfortável. O modelo virou sucesso no universo feminino e em três anos, tinha sido vendido 5 milhões de unidades e foi parar na capa da revista Newsweek e do The Wall Street Journal. Ao longo dos anos, a tendência do vestido envelope não deu sinal de que ia esmorecer. Ao contrário, ele parece mais atual do que nunca. Transpassada, a peça tem decote “v”, é acinturada e pode ser apresentada em diversos tipos de tecidos. A ideia surgiu ao ver a filha do presidente americano Richard Nixon usando saia combinada a blusa cache-coeur (cruzada na frente, amarrada por laço envolvendo a cintura). O que Diana fez foi juntar as duas roupas em uma só e ela acrescentou dizendo “sinta-se mulher, use um vestido!”.